3/05/2010

Aquecimento global tratado de forma científica



as causas e os efeitos do aquecimento global. O tema promete ser um dos grandes momentos desta sexta edição, que ocorre de 3 a 5 de maio no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá.

A palestra magna da manhã do dia 5 de maio terá como tema a questão “O planeta está esquentando?”. O objetivo da coordenação do evento é eliminar as especulações e tratar de fatos ligados ao aquecimento global da Terra. Especialistas sobre o assunto, como o doutor em geologia Gustavo Baptista, vão delimitar o que é mito e verdade sobre a elevação das temperaturas em nível mundial, e a relação da atividade produtiva com o ambiente. A palestra será mediada pelo jornalista Paulo Henrique Amorim e contará ainda com a presença de representantes da ONG The Nature Conservancy (TNC) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Gustavo Baptista é autor do livro ‘Aquecimento Global – Ciência ou Religião’, cujo tem central visa esclarecer como as oscilações naturais da atividade solar, dos oceanos, dos vulcões e de outros elementos naturais interferem no comportamento da temperatura global, além de questionar o que existe de subjetivo sobre o tema.

“Pela primeira vez no Estado, produtores e pecuaristas terão a oportunidade de acessar informações científicas sobre os impactos deste fenômeno”, aponta o coordenador geral do Enipec 2010, Luiz Carlos Meister.

Como pontua o presidente da Famato, Rui Ottoni Prado, o tema sempre foi ponto de partida para discussões sobre a sustentabilidade da produção agrícola e pecuária. “No entanto, são discussões que nos chegam de maneira exacerbada, seja por influência política ou ideológica”. “Os discursos acabam tendo mais emoção do que fatos, e é a verdade sobre os reais impactos à vida humana e à atividade agropecuária que vamos apresentar”, afirma Meister.

ENIPEC – A disseminação de conhecimentos relativos à atividade pecuária é característica do evento, que nasceu, como lembra Meister, com esta missão. “Somente por meio da aquisição de conhecimento podemos unir forças e melhorar a qualidade do produto que cada produtor rural oferta à sociedade. Muitas vezes, até obter esta meta, são necessários diversos pleitos políticos e intervenções tecnológicas, tendo como ponto de partida o conhecimento”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem vindo, faça seu comentário.

S.R.S