3/18/2010

Exportações do Paraná para a Ásia tem alta de 102%
Nas importações, o Paraná comprou cerca de US$ 9 bilhões em produtos do bloco, expressiva alta de 655,77%. Os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Com o resultado, o Paraná teve um saldo positivo na balança comercial em cerca de US$ 5 bilhões.

Segundo o secretário de Estado da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul, Virgílio Moreira Filho, o Estado figura entre os líderes nacionais em vendas para a Ásia. "Em sete anos, o Paraná foi o quinto maior exportador brasileiro para a região", afirma. Os dados são animadores e refletem ainda a consolidação de mercados. "A maior prova vem da China, país que fechou 2009 como nosso maior parceiro econômico internacional", completa o secretário.

Em 2002, as vendas do Paraná aos países asiáticos alcançavam US$ 1.030 bilhão. Em 2003, o Estado exportava US$ 1,477 bilhão, alta de 43,29% sobre o ano anterior. A partir de 2007, o Paraná saltou de US$ 1,659 bilhão para US$ 3 bilhões em 2008 e, mesmo no auge da crise econômica internacional, exportou US$ 2,985 bilhões em 2009.

Além da China, que ocupou 45,64% de participação entre as exportações estaduais para a Ásia, destaques no total de vendas também para Japão (12,68%), Coréia do Sul (9,97%), Hong Kong (8,75%) e Índia (6,3%).

Porto

Quanto aos modais de exportação, a via marítima, em especial pelo Porto de Paranaguá, representou cerca de 98% do escoamento de produtos estaduais para o mercado asiático nos últimos sete anos. Nas importações, índice chega próximo de 78% também na via marítima.

A partir de 2005, foi possível o levantamento de dados sobre os municípios paranaenses que mais venderam para a Ásia. Lideraram até 2009: Paranaguá, com 31,15% do total, Ponta Grossa, com 20,78% e, Maringá, com 10,21%. As cidades que mais importaram foram Curitiba, com 47% do total, São José dos Pinhais, com 14,47% e, Paranaguá, com 7,88%.

Sobre os produtos mais vendidos pelo Paraná figuram grãos de soja, pedaços de frangos, congelados e óleo de soja bruto. O Estado compra de lá principalmente circuitos integrados, unidades para discos magnéticos e luvas de borracha.

Valor - O crescimento significativo da corrente de comércio do Paraná faz parte do contexto verificado no Brasil. Ao agregar importações e exportações, o Brasil passou de US$ 20 bilhões em 2003 para US$ 75 bilhões em 2009, elevação de 266,68%.

Continente mais populoso do planeta e com cerca de 4 bilhões de habitantes, a Ásia representa estratégico mercado com potencial latente para novos negócios com o Paraná, como explica a coordenadora estadual de Assuntos Internacionais e do Mercosul, Fabiana Moser . "Hoje já são 212 empresas estaduais que exportam para a China, por exemplo. Diversos produtos do Paraná ainda podem competir e conquistar o mercado asiático como um todo".

Em 2009, a China comprou US$ 1,01 trilhão em produtos de todo o mundo, sendo US$ 20 bilhões do Brasil, que ocupou participação de apenas 2%. Dentro dos produtos brasileiros vendidos para a China, o Paraná ocupou 5% do total. "Com qualidade e competitividade, empresários paranaenses podem ampliar e reverter este quadro", conclui Fabiana Moser.

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Bem vindo, faça seu comentário.

S.R.S